Recentes

Um novo capítulo

Marcas / 9 Outubro, 2017

Um corredor comprido branco conduz-nos até à escada que dá acesso às renovadas instalações da Adalberto Estampados. Durante o percurso, a frase “That Way Leads to Other Dimension” surge como um prenúncio do que iríamos encontrar.

Chegados ao coração da fábrica, somos envolvidos por um ambiente simultaneamente harmonioso e atarefado. Em contraste com o cinzentismo típico das unidades de produção, há luz, jardins verticais e zonas lounge neste vibrante open space de Santo Tirso.

Os diretores reúnem-se e recebem os clientes, lado a lado com o entusiasmo e a curiosidade das equipas comercial e criativa. Enquanto aguardamos por Jorge Machado, neto do fundador e atual CEO da empresa, assistimos à sinergia entre as várias pessoas que compõem esta equipa jovem e multifacetada. Distribuídos pelas dezenas de mesa cuidadosamente alinhadas, fundem ideias e conhecimentos com o objetivo comum de continuar a afirmar o know-how e criatividade da indústria nacional.

Fundada em 1969, pelo casal Noémia e Adalberto Pinto da Silva, esta empresa familiar nunca parou de crescer e de se reinventar. O modelo de negócio, que começou por abastecer apenas as confeções da região norte do país, depressa centrou o seu foco no mercado externo, ao qual destina, atualmente, cerca de 90% da produção. «Na Adalberto, acreditamos que o sector têxtil e de vestuário português tem fortes condições de sucesso, caso se consiga continuar a distinguir positivamente pela inovação do produto», afirma convictamente Jorge Machado. «Há ainda um estigma de que existem países cujo design é superior ao nosso, mas cada vez acredito menos nessa realidade», partilha o atual CEO, num discurso que reflete o seu entusiasmo e ambição em dar continuidade à «cultura de excelência e inovação incutida pelos sócios fundadores».

«O design engloba toda a conceção do produto, não só o padrão que estampamos», esclarece o jovem empresário. A Adalberto Estampados é uma empresa líder europeia em estamparia, mas proporciona soluções integradas, que vão desde o design têxtil aos serviços de logística de distribuição. «As empresas devem ser sistemas dinâmicos, onde todos os membros de cada departamento têm um papel importante e direto no alcance dos objetivos», considera. «Tentamos aproveitar sinergias entre equipas que bebem de fontes de inspiração distintas, e temos as condições técnicas e produtivas para executar novas ideias sem grandes limitações. Atualmente, temos relações comerciais com as principais marcas de moda do mundo, sejam elas focadas nas áreas de vestuário ou têxtil-lar, e somos vistos como criadores de tendências. É com enorme satisfação que vejo o portefólio de produtos desenvolvido pelas nossas equipas e o valor reconhecido no trabalho que temos efetuado», revela Jorge Machado, apontando Espanha, França, Itália, Alemanha e Reino Unido como principais mercados.

A Adalberto Estampados produz anualmente mais de 10 mil metros de tecido, para clientes como a Lacoste, a Max Mara, o Grupo Inditex, a Desigual, a River Woods, a Burberry ou a Disney. «A liberdade criativa, a capacidade produtiva e a qualidade de produto difícil de superar» são os fatores que, segundo Jorge Machado, justificam a preferência dos clientes internacionais pela indústria portuguesa.

Reforçando o investimento na evolução e inovação, no início do ano, a Adalberto Estampados investiu na aquisição da Pike, a máquina de impressão digital mais avançada do mundo. «Mais um passo no sentido de continuarmos a posicionar-nos na liderança europeia na área da estamparia», justifica. «Apesar de algumas linhas de produção funcionarem exclusivamente com fibras não naturais, mais de 95% dos produtos que produzem atualmente têm origem em fibras naturais, entre as quais, o algodão, o linho, a seda e a lã», acrescenta. Matérias-primas essas utilizadas na marca própria de têxteis-lar Gamanatura, «uma gama de produtos home que nos permitiu crescer ao ponto de sermos um dos principais distribuidores do sector na Península Ibérica», assegura, afirmando que «a ambição é continuar a crescer, nos mercados europeus e asiáticos, onde nos diferenciamos não só pelo design, mas por termos um produto manufaturado em Portugal».

Este tópico estende-se para a responsabilidade social. «Entristece-nos a imagem negativa que a sociedade tem do sector, muito promovida por desastres ecológicos e humanos essencialmente no sudeste asiático», diz Jorge Machado. «A nossa realidade, no entanto, é radicalmente diferente e, ao longo dos últimos anos, temos executado projetos que nos diferenciam positivamente, mesmo num contexto europeu», sublinha.

Como exemplos destas boas práticas, a Adalberto Estampados consome energia elétrica de origem renovável, possui uma central de tratamento de águas e promove a qualidade do ar através de filtros de partículas instalados em todas as condutas de exaustão. A nível social, a empresa tem a preocupação de incluir nas suas equipas jovens recém-formados, contrariando a elevada taxa de desemprego qualificado no país, assim como a promoção de uma formação contínua e da saúde e bem-estar de toda a equipa, independentemente do sector ou departamento.

«Somos aproximadamente 400 pessoas, das quais cerca de 200 são operadores diretamente afetos ao processo produtivo e os restantes têm funções comerciais, de criação ou de suporte ao bom funcionamento e melhoria da empresa», explica o CEO. Na nova comissão executiva da Adalberto, juntaram-se a Jorge Machado, Paulo Renato Ferreira (COO) e Vítor Cardoso (CFO).

Paulo Renato Ferreira entrou na Adalberto em 1986 e seguiu um longo percurso até assumir um cargo de chefia. «Nunca sonhei chegar a esta função ao longo destes anos. Sou a prova viva da possibilidade de evolução dentro de uma empresa como esta», afirma o responsável pelo planeamento das áreas comercial, criativa, produtiva e de desenvolvimento. A par do trabalho desenvolvido em parceria com grandes marcas internacionais, destaca o apoio a designers nacionais, dando como exemplo colaborações com Katty Xiomara, Luis Buchinho e Ana Salazar.

Ao contrário de Paulo Renato, Vítor Cardoso é um novo rosto na empresa, tendo assumido a função de CFO em fevereiro deste ano. No entanto, traz para a Adalberto 11 anos de experiência na área de gestão financeira. «Esta é a minha primeira experiência na área da moda», revela, explicando que aqui «a estratégia é criada com base nas necessidades do cliente» e que «com o mercado é cada vez mais rápido e exigente, a aposta é estar sempre à frente, sempre na vanguarda».

Os primeiros passos foram já dados, com a reestruturação do espaço de trabalho. «Procuramos criar um ambiente dinâmico e sereno, onde se possa simultaneamente receber os clientes, trabalhar e descontrair», assume o CFO. «O capital humano é fundamental para nós, por isso, as sugestões das pessoas que aqui trabalham foram o ponto de partida para esta mudança e, de facto, notámos rapidamente que as nossas equipas se sentem bem aqui, porque se soltaram e aproximaram. Essa abertura e partilha é muito importante para a criatividade e o sucesso», acredita.

Jorge Machado, que sucedeu ao seu pai no cargo de CEO após completar sua formação nas universidades de Stanford e Harvard, complementa as palavras dos restantes diretores: «o nosso planeamento anual contempla uma componente de investimento direcionado para a melhoria contínua e inovação produtiva, nomeadamente em áreas de inovação, criativa e formação do capital humano. São fatores que acreditamos ser chave na continuação do crescimento da empresa e do sector».

Acompanhando a tendência de crescimento das exportações da indústria têxtil portuguesa, a Adalberto Estampados assume como objetivo expandir a rede de colaboradores pelo globo e aumentar as vendas em 30% até 2020. «Os nossos objetivos de crescimento, embora ambiciosos, estão alinhados com a nossa política de investimento e suportados em algumas mudanças fundamentais no nosso modelo de negócio. Queremos criar um capítulo bonito na história da empresa e estes valores de crescimento alinham-se com a história que estamos a construir», conclui.



Etiquetas: , ,




Notícia Anterior

O contador de histórias da moda




Sugestões

O contador de histórias da moda

Designer de moda, stylist e observador atento de tudo o que o rodeia, é a contar histórias que Pedro Pedro encontra a sua motivação...

18 Setembro, 2017   
RECEBA A NEWSLETTER
Dos desfiles às tendências, designers e eventos, a fashionup.pt leva as últimas notícias da moda diretamente à sua caixa de correio.
Os seus dados não serão partilhados com terceiros.
GET THE NEWSLETTER
From runway shows to trends, designers and events, fashionup.pt takes the latest fashion news straight to your inbox.
Your information will not be shared with any third party.
CONTACT US
Please contact us with any editorial or advertising questions.
Thank You. We will contact you as soon as possible.
Contacte-nos
Para questões editoriais ou de publicidade, por favor contacte-nos.
Obrigado. Entraremos em contacto o mais breve possível.
RECEBA A NEWSLETTER
Dos desfiles às tendências, designers e eventos, a fashionup.pt leva as últimas notícias da moda diretamente à sua caixa de correio.
Os seus dados não serão partilhados com terceiros.