Recentes

Paula Borges aposta no luxo

Marcas / 15 Maio, 2013

As mudanças na conjuntura e nos seus principais mercados – nomeadamente o ibérico – levaram a Paula Borges a reequacionar a estratégia. Sem abandonar a marca própria – que representa 30% da produção – a empresa familiar, com mais de 40 anos de história, está a apostar no saber-fazer para conquistar clientes de luxo no private label. «Estamos a crescer no private label, que nos está a dar sustentabilidade e outro tipo de conhecimento, para além de maiores benefícios financeiros. E essa vai ser a nossa aposta», explica Paulo Faria, diretor comercial da empresa.

Quantidades pequenas, com grande valor acrescentado, são os princípios que regem a oferta da empresa, que emprega 52 pessoas. «São produtos de elevadíssima qualidade, de gama muito alta», sublinha o diretor comercial. «Ao fazer isso, abrimos o leque de clientes que nos podem procurar, porque com este tipo de produto não se aprovisionam tanto a Ásia nem os países de Leste», refere.

E a julgar pelo rol atual de clientes, esta é já uma aposta ganha. «Trabalhamos com um bom leque de clientes internacionais. Estamos com um projeto interessantíssimo há um ano e meio com a Victoria Beckham, que tem vindo a crescer estrondosamente e tem sido uma belíssima surpresa – ela está contente com Portugal e nós também estamos felizes, porque está a crescer connosco. Temos ainda a Prada, Gucci, Max Mara, Alexander McQueen, Stella McCartney…», enumera.

«Estas casas procuram Portugal. O que nós temos é de ter arcaboiço humano para lhes responder. O segredo é resolver os problemas. Eles querem que lhes seja proposto tecidos, técnicas novas, conceitos diferentes e é isso que nós portugueses temos que chegue para oferecer», acredita Paulo Faria.

Esta capacidade de resposta tem permitido à Paula Borges ganhar novos clientes noutras latitudes, graças essencialmente ao “passa a palavra”, já que as feiras não fazem parte dos projetos. «Tem sido um percurso a solo. Às vezes, não menosprezando o trabalho que é feito por diversas entidades, acho que mais vale pôr os pés ao caminho e mais rapidamente chegamos lá. É a minha opinião. E temos tido algum sucesso nesse sentido», justifica.

Entre as novas apostas geográficas está o mercado sul-americano, nomeadamente a Colômbia, o México, o Chile e a Argentina. «Há também um contacto para o mercado asiático, o Japão, que acho que é um país interessante para o nosso nível de produto», acrescenta o diretor comercial.








Notícia Anterior

25 anos de Miguel Vieira

Próxima Notícia

A moda de "The Great Gatsby"




Sugestões

25 anos de Miguel Vieira

Figura incontornável da moda portuguesa, Miguel Vieira conseguiu associar o seu nome ao luxo e reunir uma base fiel de clientes...

13 Maio, 2013   
RECEBA A NEWSLETTER
Dos desfiles às tendências, designers e eventos, a fashionup.pt leva as últimas notícias da moda diretamente à sua caixa de correio.
Os seus dados não serão partilhados com terceiros.
GET THE NEWSLETTER
From runway shows to trends, designers and events, fashionup.pt takes the latest fashion news straight to your inbox.
Your information will not be shared with any third party.
CONTACT US
Please contact us with any editorial or advertising questions.
Thank You. We will contact you as soon as possible.
Contacte-nos
Para questões editoriais ou de publicidade, por favor contacte-nos.
Obrigado. Entraremos em contacto o mais breve possível.
RECEBA A NEWSLETTER
Dos desfiles às tendências, designers e eventos, a fashionup.pt leva as últimas notícias da moda diretamente à sua caixa de correio.
Os seus dados não serão partilhados com terceiros.