Recentes

Design ganha pontos

Destaques / Marcas / 27 Janeiro, 2016

10580751_430080410531180_194196645493827392_o_112440336_430080423864512_68257716940124217_o 12493637_430080403864514_118399247381543665_o_1A Foztex decidiu adaptar a sua estratégia e apostar no design. Mantendo a tónica no serviço, a empresa oferece agora propostas em private label e está a lançar uma marca própria.

Em 2014, a empresa familiar, fundada por Filomena e Jorge Ferreira há 26 anos, investiu em design, com a contratação da designer Catarina Soares e tomou uma nova direção para melhor servir os clientes nacionais e internacionais, onde se incluem, entre outros, Massimo Dutti, Uterqüe e Cop.Copine.

«O private label é um segmento bastante importante porque o cliente pede, cada vez mais, o produto acabado», afirmou Jorge Ferreira ao Jornal Têxtil 199 (outubro2015). «Antes trabalhávamos só a feitio, mas os clientes começaram a pedir os desenvolvimentos porque isso lhes poupa custos», acrescentou. Além disso, sublinhou, «é uma questão de diferenciação face à concorrência».

E o serviço é o elemento mais importante para esta empresa, que recorre a 45 subcontratados, sempre nacionais, para a confeção do vestuário que exporta em grande parte (90%), sobretudo para mercados como Espanha, França, Inglaterra, Dinamarca e Escócia.

Foi também a pensar nos mercados externos que lançou, no ano passado, a marca própria Philomena. «Tendo em conta o nosso know-how e as facilidades que temos na produção, decidimos avançar com a marca própria», justificou o sócio-gerente. Pensada para uma mulher sofisticada, entre os 25 e os 50 anos, a Philomena pretende posicionar-se num segmento médio-alto, com peças concebidas para o quotidiano. «A marca está a ser muito bem recebida. Já temos uma série de contactos em vários países que estão interessados em ficar como agentes», revelou. As vendas online estão também em cima da mesa, mas, como reconheceu Jorge Ferreira, «este será um projeto para o futuro».

Em 2014, a Foztex, que emprega 17 pessoas, registou um volume de negócios de 8 milhões de euros, mas as perspetivas para 2015 são ainda melhores. «Até agora tivemos um crescimento de 15%. Não crescemos em clientes mas os nossos clientes cresceram em quantidades», explicou o sócio-gerente ao Jornal Têxtil.

Uma rota que a empresa quer manter, juntamente com a exploração de novos mercados e a implantação da marca própria. «Através da Philomena poderemos chegar a outros clientes», acredita Jorge Ferreira.

 



Etiquetas: , , ,




Notícia Anterior

São riscas, senhor

Próxima Notícia

Noite e dia




Sugestões

São riscas, senhor

Marcam, desde sempre, o clássico estilo parisiense. Pintam, também, o athleisure, tendência que mais tem inspirado...

27 Janeiro, 2016   
RECEBA A NEWSLETTER
Dos desfiles às tendências, designers e eventos, a fashionup.pt leva as últimas notícias da moda diretamente à sua caixa de correio.
Os seus dados não serão partilhados com terceiros.
GET THE NEWSLETTER
From runway shows to trends, designers and events, fashionup.pt takes the latest fashion news straight to your inbox.
Your information will not be shared with any third party.
CONTACT US
Please contact us with any editorial or advertising questions.
Thank You. We will contact you as soon as possible.
Contacte-nos
Para questões editoriais ou de publicidade, por favor contacte-nos.
Obrigado. Entraremos em contacto o mais breve possível.
RECEBA A NEWSLETTER
Dos desfiles às tendências, designers e eventos, a fashionup.pt leva as últimas notícias da moda diretamente à sua caixa de correio.
Os seus dados não serão partilhados com terceiros.