Recentes

As 50 sombras de rosa

Destaques / Tendências / 13 Outubro, 2016

rosa2A indústria que havia gritado a fluidez de género aos quatros ventos nas últimas estações, foi precisamente a mesma que no mais recente calendário de desfiles de pronto-a-vestir feminino se ergueu em defesa do cor-de-rosa.

Em Paris, no alinhamento de desfiles dedicado à primavera-verão 2017, a casa Balenciaga, orquestrada pelo diretor criativo Demna Gvasalia, celebrou um rosa altivo em vestidos pelo joelho e de gola alta, que desvaneceu depois para o lilás num híbrido sapato/meia.

Já na Céline, o tom foi usado por uma supermulher, com vestidos de capa na mesma sombra de cor-de-rosa.

Na italiana Valentino, debaixo dos frescos e lustres do teto do Hôtel Salomon de Rothschild, vestidos na linha do joelho, de gola alta, drapeados e (novamente) numa proposta híbrida capa-vestido salpicaram a passerelle de rosa.

Na Givenchy, nos jardins do Museu de História Natural, foi o imaginário do ballet que serviu de bebedouro, em vestidos de gola alta com franjas de seda e mangas assimétricas, enquanto a Hermès brindou ao fúcsia, num vestido longo e cortado em viés para um movimento suave.

rosa3Para a segunda coleção Fenty x Puma, a cantora Rihanna inspirou-se em Marie Antoinette e, como resultado, houve várias analogias entre o filme de Sofia Coppola sobre a vida da malograda rainha francesa – incluindo a paleta. O cor-de-rosa dominou as propostas que resgatavam a memória de Marie Antoinette e a atualizavam na era do athleisure.

À margem do rosa, se o foco for a silhueta dos vestidos, podem também ser encontradas notas de feminilidade nas coleções da Chloé, Loewe, Stella McCartney e, sobretudo, no slogan “We should all be feminists” que Maria Grazia Chiuri fez desfilar na passerelle da Dior (ver Uma troika de estreias em Paris).

Em última análise, os vestidos cor-de-rosa fazem parte de uma nova ordem mundial, deixando de obedecer a regras tradicionais. Estes não são vestidos de cocktail, vestidos de festa ou vestidos românticos. São vestidos carregados de referências históricas, de Marie Antoinette a Elsa Schiaparelli, e que não temem as sucessivas estações dominadas por peças com aversão a conotações de género, associando, com vaidade, o rosa à mulher.

 



Etiquetas: , , ,




Notícia Anterior

Desenhadas de fresco na China

Próxima Notícia

Calçado à prova de chuva




Sugestões

Desenhadas de fresco na China

Xu Zhi, Tommy Zhong e Renli Su compõem o trio de marcas chinesas emergentes que tem vindo a explorar o trabalho artesanal...

13 Outubro, 2016   
RECEBA A NEWSLETTER
Dos desfiles às tendências, designers e eventos, a fashionup.pt leva as últimas notícias da moda diretamente à sua caixa de correio.
Os seus dados não serão partilhados com terceiros.
GET THE NEWSLETTER
From runway shows to trends, designers and events, fashionup.pt takes the latest fashion news straight to your inbox.
Your information will not be shared with any third party.
CONTACT US
Please contact us with any editorial or advertising questions.
Thank You. We will contact you as soon as possible.
Contacte-nos
Para questões editoriais ou de publicidade, por favor contacte-nos.
Obrigado. Entraremos em contacto o mais breve possível.
RECEBA A NEWSLETTER
Dos desfiles às tendências, designers e eventos, a fashionup.pt leva as últimas notícias da moda diretamente à sua caixa de correio.
Os seus dados não serão partilhados com terceiros.